One finding is no finding

 

Só passando para lembrar que CANABIDIOL não conta com nenhuma evidência científica advinda de estudo clínico randomizado e controlado por placebo que comprove sua eficácia e segurança em crianças com AUTISMO… Por quê? Começamos a ver uma indústria, que tem movimentado cerca de 4 bilhões de dólares ao ano na venda de canabidiol e outros derivados da canabis, avançando em direção a eventos sobre autismo onde temos pais de crianças autistas e profissionais não médicos (e muitas vezes, infelizmente, médicos), ávidos por novidades e nem sempre capazes de avaliar evidências científicas.

CANABIDIOL virou panaceia, no entanto, só há comprovação científica e aprovação pelo FDA americano para o uso em algumas epilepsias infantis raras e severas como a Síndrome de Dravet e de Lennox-Gastaut, dor crônica, espasticidade provocada por Esclerose Múltipla e náuseas e vômitos provocados por quimioterapia.

Fiquem ligados, esperamos ansiosamente por soluções para o AUTISMO, certamente chegaremos lá, mas somente com base em evidências científicas. Lembre-se de que em Ciência “one finding is no finding”. www.institutoglia.com.br

Marco A. Arruda

CRM 55.157

Neurologia e Desenvolvimento

Mestre e Doutor em Neurologia pela Universidade de São Paulo

Diretor do Instituto Glia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 12 =